Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Seja onde e quando for

Um blog pessoal de uma tetracampeã, mas que não é só sobre desporto. Convido-vos a ler.

Seja onde e quando for

Um blog pessoal de uma tetracampeã, mas que não é só sobre desporto. Convido-vos a ler.

Considerações finais sobre o Festival da Canção

Vou fazer um resumo da final de ontem do meu ponto de vista.

 

- Volta Diogo Piçarra.

- Também podíamos acusar o compositor Jorge Palma de plagiar o cantor Jorge Palma.

- A música inglesa até é gira e audível, mas não vamos levar isso à Eurovisão quando ganhamos com uma música em português, até parece mal.

- Ir cantar com um fato em latejoulas não é uma boa opção.

- Volta Diogo Piçarra.

- Se for para desafinar, mais vale não ir.

- O português tem sempre de referir futebol seja onde for. E nada melhor do que uma gala do Festival da Canção para falar sobre o campeonato português, não é apresentador (Pedro Fernandes)???

- Uma das intérpretes levou uns brincos com o coração de Viana. Muito bem!!

- Patati Patata dá um bom nome para um programa do Panga Biggs. Um caso a pensar.

- Volta Diogo Piçarra.

- A música "sem título" uma pessoa quase que pensa que é sobre o Sporting, mas não. É linda que se farta.

- A Anabela lá continuou com o anel. Aquilo está colado ao dedo, quase de certeza.

- Algumas músicas são claramente candidatas a pertencer à banda sonora da próxima novela da TVI.

- Volta Diogo Piçarra.

- Era um palco tão grande, acho que fazia falta um homem em tronco nu a tocar bombo, com plumas e brilhos e uma letra composta pelo Emanuel. A confusão habitual. Mas não aconteceu nada disso este ano.

 

E no fim lá ganhou "O Jardim" que, na minha opinião, vai representar muito bem Portugal. Parabéns, Cláudia e Isaura!

 

E vocês, o que acharam desta final e da música escolhida para nos representar? Contem tudo!! 

O "plágio sem fim" do Diogo Piçarra

dp.png

A Igreja Universal do Reino de Deus está em altas este ano cá em Portugal. Olhem que realmente há coincidências do diabo, não sei se estas são as palavras certas, mas vou escrevê-las na mesma. Então não é que o Diogo Piçarra está a ser acusado de plagiar uma música da IURD? Escandaleira! E não é que isso levou à desistência dele? Muita gente acha que ele meteu o rabinho entre as pernas e pôs-se a andar. Eu acho que ele já não tem paciência para este tipo de joguinhos e muito menos para alimentar discussões sem pés nem cabeça. E, desculpem lá a expressão, mas mandou esta gente toda abaixo de Braga. E às vezes sabe mesmo bem mandar as pessoas abaixo de Braga, é libertante.

Mas, vocês acham mesmo que, alguém é assim tão burro ao ponto de ir ao festival da canção com uma música plagiada? Num programa onde a visibilidade é tão grande, a nível nacional e internacional? Além disso, agora já somos todos amiguinhos da IURD? Os senhores justos e honestos que todos conhecemos? Poupem-me a minha paciência.

Triste é ver que são os próprios portugueses que vão à procura de "plágios", isso sim é uma vergonha. Só quem não escreve, compõe, pinta, desenha e por aí fora, não entende que estas coisas podem acontecer. Se é injusto? Claro que sim. A vida não é justa. E compreendo que seja uma falta de respeito criar uma coisa que "supostamente" já existe, mas num universo de milhões de músicas e textos e letras e tudo mais, vai haver sempre alguém que escreveu ou que compôs alguma coisa muito parecida. Eu já me inspirei em dezenas de pessoas, já criei coisas muito semelhantes a outras pessoas. Porque todos somos humanos e todos temos inspirações. Todos temos aquela pessoa que levamos como exemplo para algum desafio da nossa vida. No meu caso, eu adoro "A Pipoca Mais Doce". O meu sonho é ser ela e receber coisas em casa e transitar para o youtube e fazer a rubrica "Cenas várias que me aparecem cá em casa". E, apesar de não ser uma blogger de moda, beleza e lifestyle, nem coisa parecida, gosto de a seguir e gosto do que ela faz. 

Eu escrevo e já vi muitas frases, em diferentes plataformas digitais, iguais ou semelhantes às minhas. E eu não sou nenhum Diogo Piçarra, nem tenho um terço da visibilidade que ele tem, mas posso dizer que já me plagiaram? Porque quando criamos algo, nunca saberemos, se no universo da criação, não haverá alguém que pensou, que idealizou ou que sonhou exatamente o mesmo. Porque é possível.

Não sou fã incondicional do Diogo. Não o sigo em todas as redes sociais. Nem sei o que ele faz nos tempos livres. Conheço duas ou três músicas e nunca sequer fui a um concerto dele. Mas acho uma falta de respeito o que estão a fazer. Quando os portugueses têm uma coisa boa, fazem sempre questão de a estragar.

Lamento muito esta desistência.

 

E obviamente que não íamos ganhar o festival outra vez (ninguém pensa isso), mas tínhamos uma grande hipótese de com esta canção ficar no TOP5. Pronto, deixem lá, pelo menos vamos ganhar o mundial.

E acabo com esta frase muito humoristíca para quebrar o gelo, que já não me lembro quem é o autor, mas meti aspas, não quero ser acusada de nada: "Sendo uma canção da IURD, talvez não seja plágio....Pode ter sido 'adaptada' sem o consentimento dos 'pais'."

Sobre o Festival da Canção de ontem...

E que atire a primeira pedra quem alguma vez pensou que a música que o Salvador Sobral, "Amar pelos dois", levou ao Festival da Canção pudesse ganhar a Eurovisão. Ninguém acreditou realmente que pudessemos ganhar a Eurovisão antes de sermos apurados para a final. Isso era impossível, nunca na vida! Mais impossível que o Europeu ou o Mundial de futebol. Mas o Salvador lá passou à final e começamos a estar nas bocas do mundo e todos começamos a pensar "se calhar até limpamos isto".

Por isso, qualquer uma das canções que ouvi ontem têm hipóteses de ganhar. Não gostei verdadeiramente de nenhuma. Tal como não tinha gostado da canção do Salvador o ano passado. Aprendi a gostar da canção ao longo do tempo, coisa que provavelmente vai acontecer com qualquer uma das que estão a concorrer este ano, desde que não seja a "Eu quero ser tua" ou qualquer coisa cantada pela Luciana Abreu. 

 

Alguns factos que considerei interessantes partilhar com vocês sobre a noite de ontem:

 

1) Porque é que o festival começa sempre todos os anos da mesma maneira? Imagens a preto e branco, homenagem a cantores quando ainda cantavam a preto e branco, uma Simone na estante a servir de decoração. Não! Parem! Nós estamos no século 21, nós ganhamos a Eurovisão no século 21. Parem lá com as imagens a preto e branco. Tenho muito orgulho nas origens do nosso país, mas sejam originais. Por exemplo, metam a Cristina Ferreira a gritar "CERTO" no início do festival, aposto que acordava o país, de norte a sul.

2) Ninguém vai concorrer a um Festival da Canção para representar Portugal com uma música chamada "Austrália". Desculpem, mas isso não cabe na cabeça de ninguém.

3) Não consegui ouvir a música da Anabela, só consegui olhar para o anel que lhe cobria a mão toda. Se calhar tinha frio e medo de apanhar um resfriado ou assim. Por isso, não me façam perguntas sobre a música dela, não consegui ouvir nada.

anabela.png

 

4) Não sei quem é que disse ao Jorge Gabriel e ao José Carlos Malato que eles tinha piada. Eles não são o Ricardo Araújo Pereira.

5) Claro que não sou nenhuma "hater" e até ouvi duas músicas que me encheram as medidas: a do Janeiro, que vem atrasado e tudo (já estamos em Fevereiro), mas aqueceu-me o coração na noite fria de ontem. E a "Só Por Ela" que também é um doce de música.

6) Acho que a próxima semi-final vai ser melhor que esta. Tem pessoas como o Diogo Piçarra e o Diogo Piçarra e o Diogo Piçarra.

 

Bom semana. 

Mais sobre mim

Chamo-me Daniela. Pertenço ao grupo das pessoas que não gostam do primeiro nome. Tenho 24 anos.

Ainda não sou casada e não tenho filhos. Gostava de dizer que tenho três ou quatro discos de platina, mas não gosto de mentir.

Esta sou eu e este é o meu blog.

A minha playlist

Blogs de Portugal

O que estou a ler

Recordações

Vê também

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D